domingo, 24 de fevereiro de 2008

Tribunal do Júri


No próximo dia 28, será levado a julgamento no Fórum de Aparecida de Goiânia, Erasmo Nascimento, acusado de assassinar a bancária Michellyne Rocha Araújo (foto), morta em junho do ano passado. A acusação é por homicídio triplicamente qualificado e destruição de cadáver. O assassinato foi encomendando pelo ex-marido de Michellyne, Arlindo Fernandes, que recorreu da sentença de pronúncia (que manda o réu a júri).
Os promotores de justiça responsáveis por este e outros 14 processos de violência contra a mulher, que estão sendo levados a julgamento pelo Tribunal do Júri de Aparecida de Goiânia (no período de 7 a 28 deste mês) são Maurício Gonçalves de Camargo e Renata de Oliveira Marinho e Sousa.
O julgamento será às 12h30. Quem puder participar, será uma grande oportunidade para assistir a Justiça sendo feita.

4 comentários:

Sandy Sousa disse...

Caso Michellyne: primeiro acusado é condenado a 21 anos de prisão

Ontem (28), por volta das 20h 30, o juiz leu o veredicto final que selou o destino de Erasmo Nascimento de Souza, 18, um dos acusados do assassinato da bancária Michellyne Rocha Araújo Fernandes. Como queria a promotoria, o jovem foi condenado a 19 anos e nove meses de prisão por homicídio triplamente qualificado; um ano e seis meses por destruição de cadáver e mais 20dias multa.

O homicídio triplamente qualificado se caracteriza por três fatores: motivo torpe, no caso, o crime foi cometido mediante pagamento; meio cruel e uso de recursos que não possibilitaram a defesa da vítima. As alegações da defesa era de que Erasmo apenas teria ajudado a levar Michellyne ao local do crime, e depois teria fugido, alegando a inocência do réu. Os argumentos não convenceram o júri.

Erasmo cumprirá a pena inicialmente em regime fechado, no presídio Odenir Guimarães.

Fonte: Victor Hugo Caldas do DM Online

giulianna disse...

e nocaso oque aonteceria com o marido q foi o mandadante do crime?

Sandy Sousa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sandy Sousa disse...

O ex-marido de Michellyne encontra-se preso e ainda aguarda o julgamento. O acusado recorreu da decisão do juiz, que havia determinado também a ele o juri popular.